A que ponto chegamos

Quando vemos cenas tão vexatórias quanto essas, fica difícil saber o que é realidade e o que é um roteiro pré-escrito para dar ibope para os programas de televisão. O vídeo que ilustra o post é um extrato de um programa “Casos de Família”, apresentado por Christina Rocha, intitulado “Você bate cabelo e eu quero bater na sua cara” protagonizado pela drag queen Lawanny Myon Carraroh, alter ego de John Lindemberg, e seus pais Erodite e Jorge. Já dá para imaginar a baixaria.

O mais estranho é que o programa é descrito na Wikipédia como um “Programa de televisão brasileiro produzido e exibido pelo SBT, que retrata a vida de cidadãos comuns com realidade e sensibilidade”. Se os seus produtores, entretanto, não insultassem a inteligência e tivessem um pouco mais de respeito com seu público, uma melhor descrição seria “programa que retrata a vida de cidadãos comuns explorando suas desgraças e bizarrices como forma desesperada de conquistar audiência”.

Aliás o binômio desgraça alheia + sexo é explorado ao extremos pelos canais de TV. Algum desastre, acidente, morte ou coisa que o valha e passam o dia inteiro falando e repetindo o assunto. Sexo vende muito bem, e em todo programa, novela ou filme tem que aparecer alguém sensualizando. Como as crianças tem costume de repetir tudo o que veem, logo há um monte delas dançando na boquinha da garrafa e outras pérolas do gênero, como aconteceu com a tadinha da Giovana que decidiu “Descer, subir, empinar e rebolar…” e acabou derrubando o forninho. Corta!!!

Do site: MDIG.com.br
Ajude a divulgar. Compartilhe!

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *