utilizadores online
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Islamismo - Quem foi Maomé?

Como surgiu o islã?
Como viveu Maomé?
10 razões pelas quais o Islã não é uma religião de paz















10 razões pelas quais o Islã não é uma religião de paz


Razão 1)

 Cerca de 18 mil ataques terroristas seguidos de morte foram cometidos explicitamente em no do Islam nos últimos 10 anos. As outras religiões juntas, talvez não cheguem a uma dúzia de ataques).

Razão 2)

Muhammad (Maomé, o profeta do Islam) matou pessoas por o insultarem ou por criticarem sua religião. Entre essas pessoas mortas, incluem-se mulheres. Os Muçulmanos são orientados a imitar o exemplo de Muhammad.

Razão 3)

Muhammad disse em muitos lugares que ele foi “ordenado por Allah para combater os homens até que eles testifiquem que não há deus além de Allah e que Muhammad é seu mensageiro”. Nos últimos nove anos de sua vida, ele ordenou nada menos que 65 campanhas militares para fazer exatamente isso.

Muhammad inspirou seus homens a guerrearem pelos motivos mais vergonhosos que existem, usando bens capturados em combate, sexo e um paraíso de glutonarias como incentivo. Ele decaptou presos, escravizou crianças e estuprou mulheres que capturou em batalha. Novamente, os Muçulmanos são instruídos a seguir o exemplo de Muhammad.

Razão 4)

Após Muhammad morrer, as pessoas que viveram com ele e que conheciam muito bem sua religião imediatamente começaram a fazer guerra entre si.

Fátima, a filha preferida de Muhammad, viveu segura entre os descrentes de Meca durante vários anos, mas acabou morrendo pelo estresse causado pela perseguição de outros Muçulmanos apenas seis meses após a morte de seu pai. Ela ainda sofreu aborto do neto de Muhammad após ter suas costelas quebradas por um homem que veio a ser o segundo califa.

O marido de Fátima, Ali, que foi o segundo convertido ao Islam e que foi criado como um filho de Muhammad, guerrou numa guerra civil contra um exército erguido por Aisha, a esposa favorita de Muhammad – uma mulher que ele disse que era a “mulher perfeita”. Cerca de 10 mil Muçulmanos morreram em uma só batalha menos de 25 anos após a morte de Muhammad.

Três dos primeiros quatro califas (governantes Islâmicos) foram assassinados. Todos eles estavam entre os companheiros mais próximos de Muhammad. O terceiro califa foi morto por aliados do filho do primeiro (que foi morto pelo quinto califa poucos anos depois, tendo sido enrolado na pele de um burro morto e queimado). O quarto califa (Ali) foi morto esfaqueado após uma discussão mais feia com o quinto. O quinto califa, por sua vez, envenenou um dos dois netos preferidos de Muhammad. O outro neto foi, depois, decaptado pelo sexto califa.

A briga interna e as disputas por poder entre os membros da família de Muhammad, entre seus companheiros mais próximos e seus filhos apenas aumentaram com o tempo. Após 50 anos da morte de Muhammad, até a Caaba, que fora durante séculos propriedade pagã, estava em ruínas devido à guerra Muçulmana…

Esse é nada mais nada menos que o destino daqueles de DENTRO da casa do Islam!

Razão 5)

Mohammed instruiu os Muçulmanos a fazerem guerar contra outras religiões e a trazê-los submissos ao Islam. Dentro das primeira décadas após sua morte, esses companheiros árabes invadiram e conquistaram terras Cristãs, Judias, Budistas e Zoroastras.
Com apenas 25 anos da morte de Muhammad, os exércitos Muçulmanos já haviam capturados as terras e as pessoas de 28 países modernos fora da Arábia Saudita.

Razão 6)

Os Muçulmanos continuaram sua Jihad contra outras religiões por 1400 anos, detida apenas pela habilidade dos não-Muçulmanos em se defenderem. Até os dias de hoje, não se passa uma só semana sem que algum fundamentalista Islâmico tente matar Cristãos, Judeus, Hindus ou Budistas, explicitamente em nome de Allah. Nenhuma dessas outras religiões estão em guerra uma contra as outras.

Razão 7)

O Islam é a úncia religião que precisam manter seus adeptos ameaçando matá-los se deixarem a religião. Isso é feito seguindo o exemplo dado por Muhammad.

Razão 8)

O Islam ensina que os não-Muçulmanos são inferiores a um ser humano de verdade. Muhammad disse que um Muçulmano pode ser morto por cometer assassinato, mas que um Muçulmano jamais pode ser morto por matar um não-Muçulmano.

Razão 9)

O Alcorão jamais, em lugar algum, fala do amor de Allah pelos não-Muçulmanos, mas fala da crueldade de Allah e seu ódio contra os não-Muçulmanos por mais de 500 vezes!

Razão 10)

“Allah Akbar! Allah Akbar! Allah Akbar!” (Allah é grande!) Foram essas as últimas palavras ditas dentro do cockpit do vôo 93 e que são ditas antes de qualquer atendado terrorista.




Extraído do site respondendoisla.blogspot.com.br em 12/06/2013

Ajude a divulgar. Compartilhe!

1 Comentário:

Postar um comentário

Deixe registrado sua opinião. Mas evite palavrões e ofensas, assim seu comentário não correrá o risco de ser moderado.

Tecnologia do Blogger.

Receba as postagens por e-mail

O mundo tem sede de Deus

free counters

Seguidores

Google+ Followers

  ©Rocha ferida - Todos os direitos reservados.

"Todo aquele, pois, que ouve estas minhas palavras e as pratica será comparado a um homem prudente que edificou a sua casa sobre a rocha." Mateus 7:24
type='text/javascript'>