utilizadores online
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

TABU - Infanticídio indígena na amazônia

A bíblia relata casos de povos que constantemente faziam sacrifícios de crianças a deuses pagãos, e os textos bíblicos do antigo testamento também deixam evidente a reprovação de Deus a tal prática considerada abominável conforme (Levítico. 20:2-5). É difícil imaginar um pai executando seu próprio filho em nome de uma crença absurda. Mas o que muitos não sabem é que a prática do sacrifício infantil ainda acontece nos dias atuais.


Em algumas aldeias indígenas aqui mesmo no Brasil, crianças que nascem com algum tipo de deficiência são enterradas vivas. Veja com seus próprios olhos se tiver coragem...



 


Infanticídio nas comunidades indígenas do Brasil

Enquanto faltam dados confiáveis, muitas das mortes por infanticídio são mascaradas nos dados estatísticos como morte por desnutrição ou causas inespecíficas.

Um dos primeiros desafios na erradicação do infanticídio é o levantamento de dados confiáveis. A tendência do governo é tentar minimizar o problema. Para o coordenador de assuntos externos da FUNAI, Michel Blanco Maia e Souza, os casos de infanticídio não merecem maior atenção do governo. “Não temos esses números, mas acredito que sejam casos isolados.”

Com base no Censo Demográfico de 2000, pesquisadores do IBGE constataram que para cada mil crianças indígenas nascidas vivas, 51,4 morreram antes de completar um ano de vida, enquanto no mesmo período, a população não-indígena apresentou taxa de mortalidade de 22,9 crianças por cada mil. A taxa de mortalidade infantil entre índios e não-índios registrou diferença de 124%. O Ministério da Saúde informou, também em 2000, que a mortalidade infantil indígena chegou a 74,6 mortes nos primeiros 12 meses de vida. Curiosamente, nas notícias do IBGE e do Ministério da Saúde não há qualquer explicação da causa mortis.

Muitas das mortes por infanticídio vêm mascaradas nos dados oficiais como morte por desnutrição ou por outras causas misteriosas (causas mal definidas - 12,5%, causas externas - 2,3%, outras causas - 2,3%).

Segundo a pesquisa de Rachel Alcântara, da UNB, só no Parque Xingu são assassinadas cerca de 30 crianças todos os anos. E de acordo com o levantamento feito pelo médico sanitarista Marcos Pellegrini, que até 2006 coordenava as ações do DSEI-Yanomami, em Roraima, 98 crianças indígenas foram assassinadas pelas mães em 2004. Em 2003 foram 68, fazendo dessa prática cultural a principal causa de mortalidade entre os yanomami.

A prática do infanticídio tem sido registrada em diversas etnias, entre elas estão os uaiuai, bororo, mehinaco, tapirapé, ticuna, amondaua, uru-eu-uau-uau, suruwaha, deni, jarawara, jaminawa, waurá, kuikuro, kamayurá, parintintin, yanomami, paracanã e kajabi.

“Não existem dados precisos... O pouco que se sabe sobre esse assunto provém de fontes como missões religiosas, estudos antropológicos ou algum coordenador de posto de Distrito Sanitário Especial Indígena (DSEI) que repassa as informações para a imprensa, antes que elas sejam enviadas ao Ministério da Saúde e lá se transformem em “mortes por causas mal definidas” ou “externas”. Marcelo Santos, em “Bebês Indígenas Marcados para Morrer” (Revista Problemas Brasileiros, SESC-SP, maio-junho/2007)

Visite: hakani.org


Pecado, cultura ou crime?
Qual sua opinião?

11 Comentários:

Anônimo disse... [Responder comentário]

É por isso que sou a fovor a extinçao do indios,
não deve se matar os que existem, mas todos que nascerem a partir de agora devem deixar a cumunidade. Pra que indio? que sua existência permaneça somente nos livros de hitoria.

Unknown disse... [Responder comentário]

enquanto eles estiverem se matando, problema deles.

rubis braga disse... [Responder comentário]

Não se deve julgar uma raça ou incentivar o ódio, há uma clara herança que nos tem sido passada pelos índios. Graças a Deus nossa constituição nos protege de pessoas que disseminam o genocídio, o ódio, a raiva.Quem assim o faz, tenta esconder suas frustações,seus medos, sua apatia perante a vida.

Anônimo disse... [Responder comentário]

É uma pena que essa brava gente, por desconhecimento bíblico praticam esse tipo de coisa, todo mundo tem direito à vida, independente de sua condição. O índio é o povo mais unido do Brasil.

Anônimo disse... [Responder comentário]

Esse vídeo é uma farsa, foi tudo encenado, os índios foram pagos
segue o link:
http://www.boainformacao.com.br/2013/10/criancas-com-problemas-fisicos-sao-enterradas-vivas-por-indios/

Anônimo disse... [Responder comentário]

E UMA PENA Q A IGNORANCIA E UMA CULTURA TAO CRUEL FAÇAM TANTAS VITIMAS , ESTOU HORRORIZADA.

Anônimo disse... [Responder comentário]

POBRE FAMILIA DESTRUIDA POR UM COSTUME HEDIONDO DESSE, ESSES PAJES E Q NAO ALMA

Lela Araujo Lima disse... [Responder comentário]
Este comentário foi removido pelo autor.
jedidias turismo de oliveira disse... [Responder comentário]

Oh rei do egito, ide por todo o mundo e pregai o meu evangelho, o mundo e constituido de mulcumanismo, indios, ciganos, bruxos, traficantes, e tudo de ruim levanta o traseiro dessa cadeira e vai ganhar almas em vez de ficar pedindo exterminio.

Postar um comentário

Deixe registrado sua opinião. Mas evite palavrões e ofensas, assim seu comentário não correrá o risco de ser moderado.

Tecnologia do Blogger.

Receba as postagens por e-mail

O mundo tem sede de Deus

free counters

Seguidores

Google+ Followers

  ©Rocha ferida - Todos os direitos reservados.

"Todo aquele, pois, que ouve estas minhas palavras e as pratica será comparado a um homem prudente que edificou a sua casa sobre a rocha." Mateus 7:24
type='text/javascript'>