Conheça a enfermidade mais citada na Bíblia


Atualmente, médicos e especialistas têm conhecimento acerca de inúmeras doenças, de todas elas a mais antiga é a hanseníase. Os primeiros registros dessa doença datam de 1350 a.C.. Apesar de ser muito antiga, o tratamento medicinal eficaz da doença só foi descoberto no começo dos anos 80, com o desenvolvimento da poliquimioterapia.
Lepra
A doença mais antiga do mundo, também a mais citada na bíblia:


Conhecida nos dias atuais como hanseníase é provocada pela bactéria Mycobacterium leprae, também conhecida como Hansen, ela agride principalmente os nervos e a pele, podendo, em estágios mais graves, resultar em deformações. A lepra, como era conhecida, consome, resseca, agride e penetra na pele, deforma nervos, músculos e ossos.
No início ela provoca uma dor quase insuportável que logo passa e é substituída pela perda da sensibilidade e dos movimentos. O nome foi alterado por causa do preconceito com o qual os portadores da doença eram tratados, no Brasil a lepra passou a ser conhecida como hanseníase.
A denominação léprêã é utilizada na Bíblia hebraica como tsaraáth tendo o significado de desonra, vergonha, desgraça. No Egito Antigo, há referências a essa doença há mais de 3000 anos, em hieróglifos de 1350 a.C. A Bíblia contém passagens fazendo referência ao nome léprêã, mas este termo foi utilizado para designar diversas doenças dermatológicas de origem e gravidade variáveis. A antiga lei israelita obrigava os sacerdotes a saberem reconhecer a doença. As descrições mais precisas da lepra, porém, datam de 600 anos a.C

A lepra foi durante muito tempo incurável e muito mutiladora, forçando o isolamento dos pacientes em gafarias (português europeu) ou leprosários (português brasileiro), principalmente na Europa na Idade Média, onde eram obrigados a carregar sinos para anunciar a sua presença. A doença deu, nessa altura, origem a medidas de segregação, algumas vezes hereditárias, como no caso dos Cagots no sudoeste da França.

No Brasil existiram leis para que os portadores de lepra fossem “capturados” e obrigados a viver em leprosários, a exemplo do Sanatório Aimorés (em Bauru, SP), o Hospital do Pirapitingui (Hospital Dr. Francisco Ribeiro Arantes) e o Hospital Curupaiti em Jacarepaguá, no Rio de Janeiro. A lei “compulsória” foi revogada em 1962, porém o retorno dos pacientes ao seu convívio social era extremamente dificultoso em razão da pobreza e isolamento social e familiar a que eles estavam submetidos
Em números absolutos de hanseníase, o Brasil é o segundo país no ranking, perdendo somente para a Índia. (Fonte: www.brasilescola.com)
Abaixo o links com as passagens bíblicas onde a lepra é citada:
Levítico 13  Leis acerca da lepra
Levítico 14  Leis acerca da lepra
Deuteronômio 24:8   Cuidado com a enfermidade
II Reis 5:3   Naamã o comandante leproso
II Crônicas 26:19-21   Rei Uzias com lepra
Lucas 5:12-15   Jesus cura um leproso
Lucas 17:12-19   Jesus cura 10 leprosos


Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *